Alienação

20:06 by Bruno Godinho

Enquanto o mundo gira, sua cama roda em mais uma noite de embriaguez.
Aí o mundo gira e gira enquanto você está restrito ao universo da sua cama. E você roda.

Posted in | 1 Comments

Sono inquieto, despertar inquietante

14:08 by Bruno Godinho


Exausto, atirou os sapatos para um lado, o paletó para outro, afrouxou a gravata e se jogou contra o travesseiro. Durante a queda livre que antecedia seu contato com a cama já adormecera. E sonhara.

No sonho, estava de camisa de mangas curtas, calça de sarja e sapatênis. Chegava em casa cansado, atirava o calçado para um lado, desabotoava a camisa e se jogava contra o travesseiro. De tão cansado, antes mesmo de seu corpo tocar o lençol ele dormiu, roncou e até sonhou.

Neste sonho, chegava de camiseta e bermuda em casa. Chutava a sandália de dedo para um lado e se jogava na cama. Antes de triscar no colchão ele pensou: por que sonhamos com uma vida melhor se passamos a vida inteira dormindo?

Aí ele acordou feliz no último sonho e satisfeito no penúltimo. Ao despertar de verdade, percebeu enfim que estava apenas dormindo. Desiludido, voltou a deitar à espera de mais uma fantasia boa e dormiu sem nem lembrar a questão que o fizera acordar.

Posted in | 0 Comments

InsuportavelMENTE

15:20 by Bruno Godinho


Insuportavelmente, mente que nem sente.
Sente que sua mente não suporta. Sente.
Insuportável é a mente que na falta de suporte mente.
Mente, sente, senta.
De tão insuportável, a mente não agüenta.
Lamentavelmente.

Posted in | 0 Comments

O auditório

07:43 by Bruno Godinho

Ao adentrar o auditório
Entro sorrateiro
Piso miudinho, pé maneiro
para não interromper o oratório.

A platéia alvoroçada vibra,
bate palma e até chora.
Sem se importar, despede-se e vai embora.
Deixando o peso de uma libra.

No canto, acompanho tudo sozinho.
Arrumo a bagunça.
Cuido com carinho.

Faço tudo pra ficar aqui, mas parece em vão.
Eu disse auditório?
Desculpe, quis dizer seu coração.

Posted in | 1 Comments